21 de novembro de 2013

nota_190

Eu gosto de filmes ruins. Porque nada pode ser mais engraçado do que humor involuntário. É óbvio que Trovão Tropical ou Anjos da Lei  ou Chernobyl são comédias incríveis de se rir com, mas qualquer filme da Jessica Alba é perfeito para se rir de. Não que eu esteja totalmente familiarizado com a filmografia da moça, mas até onde recordo, assim, de cabeça, Sin City parece ser a única coisa boa dela. Agora, mesmo que seja a única coisa boa dela, eu prefiro assistir ao O Olho do Mal do que ao Sin City

Tomemos este filme incrível como exemplo, O Olho do Mal. A personagem da Alba é cega e toca violino. Daí recebe um par de olhos videntes num transplante. Olhos videntes mesmo: ela começa a enxergar... o mal. Espíritos, demônios. Coisas ruins. Então ela vai atrás da história do doador para dar um fim ao... mal, porque acontece muita coisa ruim no filme. Aí ela e o terapeuta dela vão parar lá no México (é claro!), onde rola uma confusão do barulho. Daí que na confusão tudo acaba... mal. Há uma explosão, vidros para todo lado. A protagonista fica cega novamente. 

Não é incrível? 

É uma refilmagem de um hit de Hong Cong. O terror oriental, sempre ele. Ainda não captei o apelo do terror oriental. Na verdade, ainda não captei a essência dos filmes de terror em geral, tanto orientais quanto ocidentais. Acho engraçado que sejam filmes de "terror". 

Nenhum comentário: