10 de janeiro de 2014

nota_194

Já conversamos aqui sobre Drive, um filme todo incrível. Já deveríamos ter conversado sobre Era Uma Vez no Oeste, maravilhoso, e sobre The Wild Bunch, idem (The Wild Bunch é conhecido por aqui como Meu Ódio Será Sua Herança. Por que fazem isso? ). Teremos tempo suficiente para conversar sobre outros filmes. Agora mesmo eu me lembrei de um que vi há pouco tempo, um com sangue e estilo. Chama-se Killing Them Softly, que recebeu o título de O Homem da Máfia.

Killing Them Softly (KTS) é de Andrew Dominik. Você deveria conhecer este homem. Ele dirigiu o maravilhoso O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford, sobre o qual já conversamos, indiretamente. Um filme injustiçado (acho que filmes injustiçados são uma obsessão minha).

Enfim, KTS. Quando eu o vi, imaginei que seria um dos meus filmes prediletos, e talvez seja pelo menos o filme predileto daquele ano. Como é próprio deste meu bloco de notas, não farei uma resenha ou crítica ao filme. Vou "comentar" uma cena dele, apenas. Uma cena do Ray Liotta. Talvez a cena não seja do Ray Liotta, cujo personagem se chama Markie. Talvez a cena seja do Brad Pitt, ou Jackie. Jackie mata Markie. Mas eu dedico a cena ao Liotta, cujo desempenho ao fazer Markie é ótimo. Antes da cena, um pouco de contexto.

Markie Trattman é um cara interessante, que se veste bem, mora só e gerencia um jogo ilegal de cartas em Nova Orleans. Um dia ele tem uma ideia, que lhe parece fantástica. Ocorreu a ele que roubar todo aquele dinheiro das mesas da própria casa de jogo da qual era gerente seria um crime perfeito. Ele nunca seria um suspeito.

Foi o que ele fez. Roubou do próprio jogo. Perfeito. Mas houve um problema. Este problema é o que torna Markie um personagem interessante.

O assalto àquele jogo de cartas era um assunto frequente nos carteados das redondezas. Um dia, enquanto ele mesmo jogava noutra mesa e o assunto veio à tona, ele não conseguiu se segurar e contou tudo, gargalhando (impossível não rir junto com ele). Foi uma ideia boa demais. "You know what? I did it!", Markie diz, morrendo de rir. Os demais cretinos acham graça e não se importam, não era o dinheiro deles.

A história se espalha, é claro. A história se espalha e outros criminosos de merda têm a mesma ideia. Digo, eles têm mesmíssima ideia: resolvem a assaltar a própria mesa da qual Markie é o gerente. Por quê? Porque Markie será o primeiro suspeito e único culpado. É como ter uma ideia perfeita, e perfeita porque repetida. É aí que o filme começa.

Tudo o que eu contei aqui você verá nos minutos iniciais do filme. Vou deixar de contar um pedaço interessante (sobre os criminosos e sobre Jackie) para pular para a cena em questão, Markie sendo assassinado. Uma cena lindíssima:

Nenhum comentário: